Atendimento
Compartilhe esta página no: Compartilhar no Twitter Compartilhar no Facebook Compartilhar no Google Plus


Capítulos:



Cap. 13 - Implantação do projeto


No início de 2007, em um centro espírita do bairro do Itaim Paulista em São Paulo, consegui finalmente reunir meus tutelados Lopes e Ricardo que se conheceram durante um curso de Espiritismo ministrado naquele centro espírita.

Ricardo Felício fizera amizade com um coordenador da casa, Wilson, de modo que junto tinham vários diálogos sobre o Espiritismo, sobre a necessidade de renovação do Movimento Espírita. Também se preocupavam com o problema de espíritas puritanos que ficavam paralisados em Kardec, e por isso, não aceitavam novas ideias, bem como novos trabalhadores que dessem continuidade à obra do Codificador.

Segundo os amigos Wilson e Ricardo, para ser espírita não devemos deixar de ser quem somos repentinamente, devemos sim fazer nossa reforma íntima. No entanto, não devemos fazê-la com sacrifício inútil, com violência para si mesmo. O espírita tem direito de ser feliz, de ter amigos, de se divertir de vez em quando. O espírita não deve ter vergonha de tentar coisas novas! Destaco que eu estive muito tempo próximo deles lhes intuindo ao estudo desses importantes temas.

Wilson era um verdadeiro incentivador de novos trabalhadores na casa espírita, e por nossa inspiração, começou a incentivar Ricardo a escrever temas interessantes ao movimento espírita. Ao mesmo tempo, comecei a estabelecer contato psíquico com o antigo Arthur Bescherelle para lhe intuir textos que futuramente integrariam o projeto Casa Espírita Virtual.

Os trabalhos no Caminho da Luz, centro espírita que eles frequentavam, continuavam até que em determinado dia, Lopes, um iniciante na Doutrina Espírita, fez uma confidência para Ricardo:

—Amigo Ricardo, eu tenho uma ideia que gostaria de compartilhar contigo. Saber sua opinião e caso você goste, gostaria que você passasse para a direção da casa para que esta adote nossa ideia.

Lopes prosseguiu:

— Pretendo fazer um site, que será inicialmente o site oficial do Núcleo de Amparo e Assistência Espiritual Dr. Bezerra de Menezes - A Caminho da Luz, um site voltado inicialmente para estudo do Espiritismo e que depois terá novas atividades. Inicialmente gostaria de criar uma biblioteca digital, um curso de espiritismo online e um painel para que o movimento espírita troque informações salutares sobre eventos e confraternizações. O que você acha da ideia?

Naquela época, Lopes ainda não sabia que iniciou esse trabalho em cumprimento ao planejamento que fizera conosco na Colônia Recanto de Irmãos.

Diante da nova ideia, Ricardo, que também participou da elaboração do projeto aqui no plano espiritual, por sua vez respondeu muito empolgado:

—Lopes, sua ideia é excelente! Pode contar comigo para ser seu colaborador neste projeto! Com todo prazer passarei a ideia aos dirigentes da casa! Amigo, este trabalho é inovador e certamente terá bons resultados!

Assim, Graças a bondade divina, o trabalho começou em 1º de março de 2008 com o apoio do dirigente Wilson. A partir de então, alguns voluntários se apresentaram, para iniciar a monitoria do curso Espiritismo online, dentre eles, Ricardo inscreveu-se como monitor voluntário, assim como passou a escrever vários artigos e livros sobre os mais variados temas de interesse do movimento espírita.

Nessa data, comemoramos com alegria aqui na Colônia a concretização de anos de planejamento e trabalho.

O site piloto do projeto Casa Espírita virtual inicialmente foi postado na rede mundial de computadores como www.lusespirita.org e um pouco depois como www.luzespírita.org.br, mantido inicialmente sob coordenação de Lopes.

O Portal Luz espírita, como foi inicialmente denominado, gradativamente ganhou e importância, de modo que passou a ser relevante site do movimento espírita. Vários voluntários foram se apresentando, de forma que o atendimento foi ampliando-se até que um novo voluntário, Miguel, meu grande amigo e tutelado, passou a exercer o papel de médium da equipe Luz Espírita, conforme ele havia se comprometido conosco.

Então, durante uma reunião mediúnica na casa de Lopes, finalmente, pude com muita alegria ditar minha primeira mensagem como porta-voz da Colônia Recanto de Irmãos, mensagem que foi publicada no Portal Luz Espírita:

SERVIR
Servir, sem querer ser servido.
Amar, sem querer ser amado.
Viver, para melhor entender a vida.
Adquirir conhecimento para melhor discernir o certo do errado.
Olhar para o próximo e nos enxergarmos.
Ser mais amigo para dispormos de mais oportunidades para fazer o bem.
Aproximar pessoas comuns.
Olhar e não só desejar, mas contribuir para a construção de um mundo melhor.
Dividir melhor nosso tempo, para que nenhuma área de nossa vida sinta nossa falta.
Há tempo para fazer o bem ao próximo tal qual á tempo de fazermos o bem a nós mesmos.
E a melhor forma de fazermos isso é cuidando daquilo que Deus nos confiou.
Cuidemos de nosso trabalho;
Cuidemos de nossos amigos;
Cuidemos de nosso lar;
Cuidemos uns dos outros,
Com a devida preocupação de que não estamos dando maior importância a um do que a outro.
Hanzi

Depois da publicação dessa mensagem, pude me comunicar frequentemente com a equipe Luz Espírita por meio da mediunidade de Miguel. Muito embora fui recebido com muito respeito por meus amigos, fiz questão de evitar um ambiente formal, afinal, todos já éramos amigos de longa data. Fizemos então várias reuniões mediúnicas para estudos de diversos assuntos. Ademais, tive ainda o prazer de levar às reuniões mediúnicas meus amigos, Afonso e Laerte, dentre outros, que também se utilizaram do aparelho mediúnico de Miguel. Todos eles elogiavam o bom trabalho do médium.

Em determinada reunião ditei a Miguel um mensagem de incentivo aos trabalhos do site:

MISSÃO DO ESPIRITISMO E DO ESPÍRITA
A missão do Espiritismo não é de ser a religião do futuro, é a de espiritualizar o ser. No entanto, o mal
manipula as boas coisas em nosso interesse pessoal.
Felizmente, existem mais pessoas interessadas no caminho de Deus do que no mal.
Por que tanto mal na Terra? Pela omissão dos bons e ênfase demasiada dos meios de comunicação na maldade.
Enfatizamos a maldade para ofuscar nossos defeitos:
Esse é o alerta do Espiritismo para que conheçamos nossos males antes de apontar os erros do próximo.
Não há limites para a comunicação, a internet chegou por meio da destruição da guerra, hoje é levada para levar amor e sabedoria dos planos espirituais.
A missão do verdadeiro espírita transcende isso, este tem a responsabilidade de levar conhecimento àquele que ainda não o tem. Seremos cobrados por isso.
Desejamos que todos tenham no Espiritismo a certeza da Justiça e da Bondade de Deus (que não é punitivo). Deus sempre nos dará a oportunidade do recomeço tendo paciência com nossas imperfeições.
O Espírita de Hoje não pode se comportar como um fanático religioso preso dentro do Centro Espírita escondendo seus conhecimentos entre quatro paredes.
Nosso Senhor Jesus nos ensinou: “não coloque a candeia em baixo do alqueire”.
Com o passar do tempo, nosso trabalho foi sendo executado de modo que o projeto Casa Espírita Virtual começou a se sintonizar plenamente à metodologia de ação dos irmãos da Colônia Recanto de Irmãos, especialmente pelo fato da equipe acreditar na dinâmica da comunicação virtual via internet, sem as amarras burocráticas de uma instituição física.

Como consequência dos resultados obtidos com o projeto, Lopes, Miguel e Ricardo se faziam a mesma pergunta:

—Como poderia nossa programação reencarnatória supor que fizéssemos trabalhos que envolvessem uma tecnologia que não existia quando nascemos, ou seja, a internet?

Tal pergunta ainda fazia sentido porque eles ainda não tinham a lembrança de nossos encontros como grupo de planejamento. Na ocasião dei a seguinte resposta:

— Vossos planos para a aventura terrena não pré-determinaram os mínimos detalhes, como fosse um script a ser lido e executado tal como um software. Os amigos fizeram vossas preparações reencarnatórias na Colônia Recanto de Irmãos e firmaram conosco o compromisso de serem ferramentas para o trabalho de evangelização cristã, sendo qual fosse uma roça a ser encarada.
Nossa Colônia exerce um papel de vanguarda no emprego das tecnologias da informação e já esperávamos que breve essa tecnologia chegaria aos encarnados.

Prossegui explicando:

— Não foi por acaso que o laboratório de nossa colônia recebeu o epíteto de Bauhaus, cujo verbete, do idioma alemão, nos diz algo do tipo "casa construída", ou "casa da construção". É uma clara alusão à famosa escola alemã de design, pioneiríssima em frentes modernistas nas áreas de arquitetura, artesanato e das artes em geral, fundada por Walter Gropius em 1919, e, infelizmente, devastada pelo nazismo, nos anos trinta do século passado. A inspiração é mais do que válida, pois, ao quebrar tabus e paradigmas, o seu trabalho tem erguido então um novo padrão – ou derrubado todos os padrões.


Capítulos:


Introdução

PRIMEIRA PARTE (Médium Wilton Oliver) Capítulo 1 - Visitas à casa do irmão Hélio

Cap. 2 - Encontro doce

Cap. 3 - O papel dos mentores

Cap. 4 - O resgate de Ícaro

Cap. 5 - Na câmara de miniaturização

Cap. 6 - Preparação para o porvir

Cap. 7 - A gestação

Cap. 8 - Oportunidade para recomeço

Cap. 9 - Confissões

Cap. 10 - Equipe socorrista

Cap. 11 - Depoimento de Hanzi

Cap. 12 - Nos campos da Colônia

Cap. 13 - Reminiscências

Cap. 14 - Influências nefastas

Cap. 15 - Exposição esclarecedora

SEGUNDA PARTE (Médium Rodrigo Felix da Cruz) - Cap. 1 - Notícia feliz

Cap. 2 - O retorno de Marisa

Cap. 3 - Estudos na Colônia

Cap. 4 - Estágio no Hospital Irmã Margarida

Cap. 5 - Reencontro com Ícaro

Cap. 6 - As dimensões do Além

Cap. 7 - Laboratório da Memória

Cap. 8 - Na equipe socorrista

Cap. 9 - Primeiras atividades socorristas

Cap. 10 - Visita a François Dupont

Cap. 11 - Importante projeto

Cap. 12 - Grupo de planejamento

Cap. 13 - Implantação do projeto

Cap. 14 - Trabalho em conjunto

Cap. 15 - Comprometimento, esperança e perdão

TERCEIRA PARTE (médiuns Alessandra Aparecida Silva e Rodrigo Felix da Cruz) Cap. 1 - Balanço

Cap. 2 - Novos trabalhos

Cap. 3 - Reunião na casa de Ricardo Felício

Cap. 4 - Laerte

Cap. 5 - Irmã Margarida

Cap. 6 - Irmã Maria Madalena

Cap; 7 - Irmã Lia

Cap; 8 - Inácio

Cap. 9 - Thales

Cap. 10 - Augusto

Cap. 11 - José de Matusalém

Cap. 12 - Estevão, guerreiro

Cap. 13 - Clara

Cap. 14 - O resgate de Rômulo

Cap. 15 - Mensagem de Laerte



© 2014 - Todos os Direitos Reservados à Fraternidade Luz Espírita

▲ Topo