Compartilhe esta página no: Compartilhar no Twitter Compartilhar no Facebook Compartilhar no Google Plus



Índice de verbetes



Desencarnado



Desencarnado é como se chama o ser inteligente (alma) que, uma vez tendo atravessado o estágio da morte, encontra-se na forma espiritual, destituído da carne (o envoltório físico humano circunstancial no processo de reencarnação); é a condição de não encarnado. Nesse contexto, desencarnado é o que normalmente se diz de falecido, defunto, morto, ser incorpóreo e invisível; no contexto da Doutrina Espírita, dizemos que desencarnado é o Espírito, aquele que outrora havia sido uma alma encarnada, e que agora se encontra na erraticidade, ou seja, no intervalo entre os estágios da reencarnação, portanto, Espírito errante ou errático.

"Deixando o corpo, a alma volta ao mundo dos Espíritos, de onde saiu, para passar por nova existência material, após um tempo mais ou menos longo, durante o qual permanece em estado de Espírito errante."
O Livro dos Espíritos, Allan Kardec - Introdução ao estudo da Doutrina Espírita, item VI

O estado espiritual — desencarnado — é o natural e no qual o Espírito vive em sua plenitude, enquanto que encarnado — condição circunstancial — ele fica sujeito às limitações e necessidades físicas, que são mais ou menos rígidas de acordo com o meio ambiente do mundo no qual reencarna.

Segundo o Espiritismo, na erraticidade os Espíritos — ou seja, os desencarnados — se ocupam e também progridem, de acordo com os esforços que empregam. Contudo, diz a revelação espírita, é nas experiências corporais (reencarnações) que se pode pôr em prática as ideias adquiridas (O Livro dos Espíritos, questão 230).

O desencarnado conserva a sua individualidade e é, por assim dizer, a continuidade daquele mesmo outrora encarnado, no sentido de que guarda as suas qualidades próprias, adquiridas ao longo de todos os estágios reencarnatórios (O Livro dos Espíritos, questão 150). Então, é mais ou menos feliz conforme seus méritos: sofre por efeito das paixões que conserva e regozija-se pelas virtudes alcançadas (O Livro dos Espíritos, questão 231).

Dessa mesma expressão se origina o verbo desencarnar, que num sentido literal seria despir-se ou desligar-se da carne, que é equivalente a morrer, falecer.

Ver Desencarnação.


Referências

  • O Livro dos Espíritos, Allan Kardec (ler online)



Índice de verbetes
A Gênese
Aksakof, Alexandre
Alexandre Aksakof
Allan Kardec
Alma
Alma gêmea
Amélie-Gabrielle Boudet
Anastasio García López
Anna Blackwell
Auto de Fé de Barcelona
Banner of Light
Bem
Blackwell, Anna
Boudet, Amélie-Gabrielle
Cairbar Schutel
Canuto Abreu
Caridade
Cepa espírita
Charlatanismo
Charlatão
Chico Xavier
Cirne, Leopoldo
Codificador Espírita
Consolador
Crookes, William
Denis, Léon
Dentu, Editora
Dentu, Édouard
Desencarnado
Deus
Divaldo Pereira Franco
Doutrina Espírita
Ectoplasma
Ectoplasmia
Editora Dentu
Édouard Dentu
Epífise
Escrita Direta
Espiritismo
Espírito da Verdade
Espírito de Verdade
Espírito Santo
Espírito Verdade
Espiritual
Espiritualismo
Espiritualismo Moderno
Evangelho
Fora da Caridade não há salvação
Francisco Cândido Xavier
Franco, Divaldo Pereira
Galeria d'Orléans
Gama, Zilda
Glândula Pineal
Herculano Pires
Herege
Heresia
Hippolyte-Léon Denizard Rivail
Humberto de Campos
Inquisição
Irmão X
Joanna de Ângelis
Johann Heinrich Pestalozzi
José Herculano Pires
Kardec, Allan
Kardecismo
Lachâtre
Lamennais
Léon Denis
Leopoldo Cirne
Linda Gazzera
Livraria Dentu
Madame Kardec
Mal
Maurice Lachátre
Médium
Mediunidade
Misticismo
Místico
Moderno Espiritualismo
Necromancia
O Livro dos Espíritos
Oração
Palais-Royal
Paráclito
Parasitismo psíquico
Pestalozzi
Pineal
Pneumatografia
Prece
Religião
Revelação Espírita
Rivail, Hippolyte-Léon Denizard
Santíssima Trindade
Santo Ofício
Silvino Canuto Abreu
Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas
Terceira Revelação
Tribunal do Santo Ofício
Ubiquidade
Vampirismo
William Crookes
Xenoglossia
Yvonne do Amaral Pereira
Zilda Gama

© 2014 - Todos os Direitos Reservados à Fraternidade Luz Espírita

▲ Topo