Compartilhe esta página no: Compartilhar no Twitter Compartilhar no Facebook Compartilhar no Google Plus



Índice de verbetes



Kardecismo



Kardecismo é um termo derivado do sobrenome Kardec, em alusão a Hippolyte-Léon Denizard Rivail, que adotou o pseudônimo Allan Kardec, desde quando assumiu a missão de codificar a Doutrina Espírita.

Literalmente, kardecismo (Kardec + ismo) significa "doutrina de Kardec", ou "doutrina kardecista", aplicável também como sinônimo de Espiritismo e Doutrina Espírita. Essa designação foi adotada por enciclopédias, como a de Oxford e a Barsa. Contudo, muitos pensadores espíritas resistem em aceitá-la como válida, em função de, segundo estes, o termo denotar erroneamente a ideia de que o Espiritismo — a doutrina dos Espíritos — seja obra de Allan Kardec. O próprio codificador espírita rejeitou tal qualificativo, enaltecendo a verdadeira autoria da referida doutrina:

"Entre o Espiritismo e outros sistemas filosóficos há esta diferença capital; que todos estes são obras de homens mais ou menos esclarecidos, ao passo que, naquele que me atribui (o Espiritismo), eu não tenho o mérito da invenção de um só princípio. Diz-se: a filosofia de Platão, de Descartes, de Leibnitz; nunca se poderá dizer: a doutrina de Allan Kardec; e isto, felizmente, pois que valor pode ter um nome em assunto de tamanha gravidade? O Espiritismo tem auxiliares de maior preponderância, ao lado dos quais somos simples átomos. "
Allan Kardec, O Que é o Espiritismo - Cap. I, 2° diálogo: "Elementos de convicção"

Outros estudiosos espíritas, a exemplo dos enciclopedistas, consideram correto o uso do termo Kardecismo em razão de muitas vezes ser necessário distinguir a Doutrina Espírita codificada por Allan Kardec de outras concepções que se apropriam do título Espiritismo e espírita, em que Kardecismo equivale a Espiritismo Kardecista. Sobre aquela recomendação do codificador, para que não lhe fosse atribuído qualquer mérito, estes estudiosos põe na conta da modéstia de Kardec, uma vez que a codificação — de acordo com estes — não lhe foi ditada pronta, mas foi sim habilmente compilada por ele.

De fato, as expressões espiritismo e espírita foram generalizadas e aos poucos substituíram os termos espiritualismo e espiritualista, relativos ao movimento conhecido como Espiritualismo Moderno. Mesmo Allan Kardec — o criador daquelas expressões — as aplicou de maneira geral, designando fenômenos fora do âmbito da Doutrina Espírita, por exemplo, classificando como "manifestações espíritas" ocorrências mediúnicas quaisquer. Provavelmente, ele o fez por não supor que a doutrina que ele iria codificar fosse ser tão rapidamente aceita. Uma vez que a Doutrina Espírita se estabeleceu e sobrepujou sobre as ideias generalizadas do Espiritualismo Moderno, a palavra espiritismo passou a ser tecnicamente aplicada exclusivamente à doutrina codificada por Kardec e, de maneira semelhante, o adjetivo espírita (o mesmo que espiritista) foi sendo restringido ao escopo dos conceitos kardecistas.

Há ainda quem proponha que o termo Espiritismo continue sendo aplicável a todo o universo correspondente ao Espiritualismo Moderno e à prática geral da mediunidade, enquanto que o conjunto dos conceitos doutrinários ditados pelos Espíritos e codificados por Kardec seja chamado apenas de Doutrina Espírita. Ainda nesse contexto, a expressão Kardecismo ficaria restrita às opiniões particulares de Allan Kardec.

Em suma, compreendemos Kardecismo como sinônimo de Espiritismo e de Doutrina Espírita (termos equivalentes), significando então o conjunto de conceitos codificados por Allan Kardec, em acordo com a revelação dos Espíritos superiores, também caracterizada como a Terceira Revelação. As demais doutrinas, ainda que sejam compostas de algumas concepções similares, mas que não acompanham integralmente a codificação espírita, estas são classificadas como espiritualistas.


Referências





Índice de verbetes
Aksakof, Alexandre
Alexandre Aksakof
Allan Kardec
Alma
Alma gêmea
Amélie-Gabrielle Boudet
Anastasio García López
Anna Blackwell
Auto de Fé de Barcelona
Bem
Blackwell, Anna
Boudet, Amélie-Gabrielle
Cairbar Schutel
Canuto Abreu
Caridade
Cepa espírita
Charlatanismo
Charlatão
Chico Xavier
Codificador Espírita
Consolador
Crookes, William
Denis, Léon
Dentu, Editora
Dentu, Édouard
Desencarnado
Deus
Divaldo Pereira Franco
Doutrina Espírita
Ectoplasma
Ectoplasmia
Editora Dentu
Édouard Dentu
Epífise
Escrita Direta
Espiritismo
Espírito da Verdade
Espírito Santo
Espírito Verdade
Espiritual
Espiritualismo
Espiritualismo Moderno
Fora da Caridade não há salvação
Francisco Cândido Xavier
Franco, Divaldo Pereira
Galeria d'Orléans
Gama, Zilda
Glândula Pineal
Herculano Pires
Herege
Heresia
Hippolyte-Léon Denizard Rivail
Humberto de Campos
Inquisição
Irmão X
Joanna de Ângelis
Johann Heinrich Pestalozzi
José Herculano Pires
Kardec, Allan
Kardecismo
Lachâtre
Lamennais
Léon Denis
Linda Gazzera
Livraria Dentu
Madame Kardec
Mal
Maurice Lachátre
Médium
Mediunidade
Misticismo
Místico
Moderno Espiritualismo
Necromancia
O Livro dos Espíritos
Oração
Palais-Royal
Paráclito
Parasitismo psíquico
Pestalozzi
Pineal
Pneumatografia
Prece
Religião
Revelação Espírita
Rivail, Hippolyte-Léon Denizard
Santíssima Trindade
Santo Ofício
Silvino Canuto Abreu
Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas
Terceira Revelação
Tribunal do Santo Ofício
Ubiquidade
Vampirismo
William Crookes
Xenoglossia
Yvonne do Amaral Pereira
Zilda Gama

© 2014 - Todos os Direitos Reservados à Fraternidade Luz Espírita

▲ Topo